Colocou o Cinto?

20 anos da obrigatoriedade de uso do cinto de segurança.

A obrigatoriedade do uso do cinto de segurança completou 20 anos em outubro, e nós, da ABRAMET apoiamos essa medida. Em virtude dos excelentes resultados da diminuição de mortes após a obrigatoriedade do uso do cinto, estamos iniciando a campanha, Colocou o Cinto?, que traz complementando a pergunta, a frase Proteção sem igual, para a vida no trânsito,  tem o objetivo de fazer com que motoristas e passageiros tenham a reação natural de pensarem na resposta e assim partirem para a ação da iniciativa de efetivamente colocarem o cinto.

Trabalhamos em nosso conceito a pergunta que, naturalmente, os motoristas responsáveis pelos seus passageiros, fazem antes de saírem com seus veículos, e que os que não fazem, deveriam fazer. 

As cores utilizadas são vermelho que remete a atenção, importância e emergência, e o preto, que é a cor de lembrança de imagem da maioria dos cintos de segurança. Até dezembro, contaremos a história do primeiro cinto criado, apresentaremos a funcionalidade na hora do impacto, os tipos de cinto e os números. 

Uma campanha que poderá ajudar a todos com conteúdo e informação a ser disseminada. 

Acompanhem nosso perfil no Facebook, ou acessem nosso site e compartilhem em sua página.

Fizemos essa campanha para que todos nós possamos impactar o maior número de pessoas e preservar mais vidas através da conscientização.

Vamos iniciar nossa primeira publicação, pegando carona no feriado, e hoje já publicamos e nossa página o primeiro anúncio da campanha, o objetivo desse é lembrar que para diversão ou viagem, todos, incluindo os passageiros do banco de trás, devem usar o cinto. E você? Colocou o Cinto?

Além do lançamento da campanha do cinto, vamos retomar a campanha que veiculou nas estradas, com placas de estrada, distribuição de folhetos nos pedágios e nas mídias sociais, a campanha Não dê carona ao sono merece ser sempre lembrada, e mais do que isso ser utilizada na conscientização da população, você, Médico de Tráfego, é importante nessa conscientização.


E se o sono bater?

Especialistas de trânsito e órgãos de fiscalização são taxativos: ninguém deve viajar com sono. No entanto, nem sempre é possível. Basta a combinação entre uma noite mal dormida e um compromisso profissional para que a viagem de risco aconteça.

Nesse caso, é possível seguir algumas recomendações. Manual da campanha Não dê Carona ao Sono, realizada entre março e abril deste ano, traz dicas importantes aos motoristas.

O motorista deve evitar ao máximo viajar entre meia-noite e 6h, conduzir o veículo sozinho e depois de uma noite sem descanso. Também não pode, em hipótese alguma, viajar sob efeito de álcool ou remédios para dormir.

Se o sono bater, os sintomas vêm rapidamente: dificuldade em manter os olhos abertos, vista dupla ou borrada, desatenção, incapacidade de manter a mesma velocidade, elaboração de pensamentos desconexos e, o mais perigoso, mudança nos rumos da direção.

Nessa hora, é necessário parar o carro, de preferência em lugar seguro e iluminado. Se for em posto de gasolina, tome um café forte. Em seguida, deite o banco e durma por até meia hora. 

O procedimento é paliativo. Procure, sempre que possível, se hospedar em algum lugar e dormir ao menos seis horas. 


Parceria

A campanha "Não dê Carona ao Sono" foi realizada pela Academia Brasileira de Neurologia e pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, em parceria com a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). (JGD)                                                           
Fonte: E se o sono bater?

É através das suas orientações embasadas por dados estatísticos e científicos que poderá conscientizar as pessoas ao seu redor.

Abrace essas campanhas conosco, divulgue, compartilhe, em suas redes, vamos juntos, preservar diariamente a vida e felicidade de muitas famílias.